12/12/2017

NYC Diaries | Day 3


Soho, Little Italy, Lower East Side, Chinatown, Brooklyn, Dumbo 

Se tivesse de eleger um dia favorito em New York era este sem dúvida.

SHARE:

06/12/2017

NYC Diaries | Day 2


[Literalmente fomos acordados a meio da noite com telefonemas da recepção para confirmarmos a cor das nossas malas. Eu não sei o que lhes passou pela cabeça sobre o grau de discernimento da pessoa para responder - a meio da noite - a uma questão destas. Mas aconteceu. E não satisfeitos, por volta das cinco da manhã (ahhhhhh entendo, "a cidade que não dorme"), tocaram à porta do quarto com as malas. O modo rabugento foi completamente sobreposto pelo xiteeex total de as voltarmos a ver (podia bem acontecer nunca chegarem a NY ahahah)].

SHARE:

05/12/2017

NYC Diaries | Day 1

Este é o relato da viagem. O que fizemos, onde fomos e o que gostamos mais e menos. A big city vista do nosso 'mapa-mundo', com a delonga temporal que já é habitual em publicações sobre viagens (não me orgulho, mesmo é o que é). O guia prometido, preparado para leitura e impressão, sem histórias nossas, mas cheio de história, será um presentinho "a desembrulhar" antes do Natal.


Há pouco mais de um mês estivemos em New York. Numa viagem pouco programada e tão-pouco sonhada. Mesmo que seja um dos destinos mais visitados e apetecíveis.
Estivemos cinco dias, o tempo suficiente para ficar com uma boa ideia da cidade, da cultura e estilo de vida urbanos. Da cidade que vive de Starbucks na mão, auriculares nos ouvidos e olhos postos no chão ou no New york Times. Cosmopolita, imensa e vibrante. Mágica como vemos nos filmes, nas fotografias e na televisão.

SHARE:

01/12/2017

dezembro | e as cinco escolhas para este mês

dezembro começa exactamente do jeitinho que quero que se mantenha. O mais possível em casa, com esta luz (e se tiver mesmo de ser, com este frio e sem chuva), calmo, sem correrias, sem consumismo, sem discussões, com filmes no sofá e pijama o dia todo.
Ainda não consigo vestir o mantra "it's the most wonderful time of the year", ainda não foi este ano que se fez a árvore de Natal cá em casa e também não existe uma lista desenfreada de presentes para comprar, mas a cada ano que passa prometo(-lhes) um esforço grande para me "converter" ao espírito.
E este mês, no meu mundo, sem músicas de Natal e exageros da época, exagerarei no amor em todos os momentos bons que vão acontecer.

Os desejos, planos, sonhos, ambições e a #todolist de um dezembro "que seja breve". 





MC
Estamos todos todos ansiosos por te conhecer, MC. Até lá, prometo vigiar de perto o descanso da tua mãezinha, para que não nasças antes do dia marcado.


Gerês 
Os feriados de dezembro são já um clássico na "reunião invernal" da turminha. Há um ano fomos para o Douro. Este ano estou à vossa espera para rumarmos ao Gerês. Somos dezassete e serão, certamente, três dias muito especiais.


em família
Ainda antes do Natal, daqueles dias 24 e 25, que são indubitavelmente passados em família, vamos - também em família - "aproveitar-nos" para um sítio muito muito bonito.


desapegar
Faltam pouco mais de cinco semanas para arrumar o que me falta e dizer adeus. À "minha segunda casa" durante quase oito anos. Uma decisão muito pensada e ponderada, um salto de fé e coragem. Um desapego estendido no tempo.


wishlist, 
Não é uma carta ao Pai Natal, porque não existe. É uma wishlist de todo o ano, não vá os #paistiosamigosaniversário quererem tratar tudo com muita antecedência. Então:
A M. não tem perfume há muito tempo e vive de amostras que negoceia aqui e ali (é muita lata junta). 
A M. também gostava muito de ter um mapa mundo, daqueles tipo raspadinha.
A M. aceita massagens em tudo o que é centro terapêutico.
E a M. considera de grande utilidade um workshop/curso sobre vinhos (com provas incluídas, claro).
SHARE:

10/11/2017

Paddy Cosgrave | Entrevista ao CEO da WebSummit

A propósito da 7.ª Edição da WebSummit - que aconteceu em Lisboa nos últimos dias - não posso deixar de notar a entrevista a Paddy Cosgrave, CEO da WebSummit, que pode (e vale muito a pena) ser lida na íntegra aqui

"Quando lhe pedimos que nos exemplifique como marcaria um restaurante e decidiria o que fazer à noite senão tivesse Internet, atira-nos com um “Serendipity has been taking hostage. Têm esta expressão em Portugal?”. Respondemos que não, que serendipity é um feliz acaso, uma feliz coincidência e que, sendo assim, em português a expressão significava que a Internet tinha vindo raptar esses felizes acasos e que fez deles seus reféns."

SHARE:

06/11/2017

Expo | The world of STEVE MCCURRY

Steve McCurry
"Uma grande fotografia tem uma grande emoção. Seja amor, seja ódio."


É, acima de tudo, um privilégio esta retrospectiva de vida e de obra mostrada, pela primeira vez, em Portugal, no Porto.
São mais de 200 fotografias do fotógrafo americano Steve McCurry, uma das vozes mais importantes da fotografia contemporânea, que fez capas em todo o mundo e ganhou a medalha de ouro Robert Capa pela coragem e resiliência (além de uns quatro inéditos primeiros prémios no World Press Photo), em exposição na Alfândega do Porto até 31 de dezembro.
Tem imagens inéditas e a célebre fotografia da menina afegã de olhos verdes.

«As fotografias devem provocar alguma surpresa e têm histórias para contar».
Aos 67 anos, e depois de tanto mundo, de tantas imagens, tantas imagens, o fotógrafo que estudou cinema na Universidade Estadual da Pensilvânia, antes de ir trabalhar para um jornal local, continua a acreditar no mundo em que vivemos. «Temos de ser positivos, não podemos desistir. Tenho uma filha…»
'Fotografou o 11 de setembro. Saiu do seu escritório em Nova Iorque e foi para as ruas de coração agoniado captar as operações de resgate. Esteve no Japão no pós-tsunami de 2011 e fotografou, entre muitos cenários, a silhueta de um homem num espelho partido.
A exposição de Steve McCurry no Porto começa com uma seleção inédita de fotos a preto e branco, durante a sua missão no Afeganistão. Na cidade portuguesa, já fotografou a Estação de São Bento e provas do vinho do Porto.
Esteve no conflito no Afeganistão e mostrou-a além fronteiras. Captou a Guerra do Golfo e o ar negro das queimadas de petróleo. Registou o drama das crianças-soldado com metralhadoras ao peito. Esteve em cenários de guerra e de violência. Testemunhou transições culturais. Tirou milhares de retratos. E em 1984 fotografou Sharbat Gula, a menina afegã de olhos verdes que o mundo não esquece.'

As fotografias estão suspensas, cada uma tem uma luz especial, e não há um percurso obrigatório. É como um labirinto em que o visitante faz o seu próprio trajeto como uma viagem íntima ao universo fotográfico de um nome maior da fotografia. Cada foto tem a sua própria legenda, mas com um mínimo de informações. Há um áudio-guia disponível em cinco línguas: português, inglês, francês, italiano e alemão. Em inglês, o narrador é o próprio fotógrafo.
Vale tanto, mas tanto, uma visita:)

The World of Steve McCurry
Alfândega do Porto até 31 de dezembro
De segunda a sexta-feira das 10h00 às 18h00
Sábados, domingos e feriados das 10h00 às 19h00
Adultos: 11 euros
Crianças dos 4 aos 12 anos: 7 euros
Seniores e estudante: 9 euros 
SHARE:

03/11/2017

novembro | e as cinco escolhas para este mês

Chegamos ao penúltimo mês do ano.
Ao outono anunciado (honestamente bipolar). Ao sofá, aos brunchs, às tardes de preguiça pura, às mantas e às castanhas. Ao momento do ano em que me apetece começar a olhar para o próximo. Mesmo que - neste - ainda haja tanta estrada para andar.

Os desejos, planos, sonhos, ambições e a #todolist de um sweet november






baby shower
Este mês tem baby shower da MC. E tem uma tia muito babada e ansiosa por te conhecer.


a minha Gabriela 
Countdown.
19/11. O teu dia e o tempo que nos prometemos. Um fim-de-semana inteirinho. Trata das garrafinhas de tinto, do 'pata negra' e dos troncos para a lareira. Nós levamos o resto.


Lisboa
Tenho tantas saudades de Lisboa. Depois de um ano inteirinho de fins de semana a Sul, este ano estranho os tão poucos dias que lá passei. Mas este mês estão marcados dois dias sob a luz mágica da capital, ainda que o quality time com as pessoas bonitas que Lisboa me deu aconteça apenas uns dias depois a Norte. Sim, em dezembro, a turma ruma de novo a Norte!!! 


desapegar
Dentro e fora. Comecei este processo há muito muito tempo. Por dentro e por fora. E reconheço efeitos fantásticos (um dia escrevo mais sobre isto), mas chego de novo a um ponto que sinto necessidade de desapegar mais, reorganizar, guardar tempo, lugares e pessoas bonitas, simplificar, mudar de carruagem e começar um novo trilho. Dentro e fora. Work in progress.


agradecer os fins necessários, 
aqueles que permitem construir novos inícios. 
SHARE:
© serendipity. All rights reserved.