08/04/2016

Rio de Janeiro | Dicas

Olha que coisa mais linda / Mais cheia de graça / É ela, menina / Que vem e que passa / Num doce balanço / A caminho do mar / Moça do corpo dourado / Do sol de Ipanema / O seu balançado é mais que um poema / É a coisa mais linda que eu já vi passar

Confesso (aquilo que todo o mundo sabe): O meu mundo inteirinho se enche de graça / E fica mais lindo ......no Rio.
Tudo começa quando "os nossos pais acertaram nas estrelas quando nos levaram ao Rio sem sequer se conhecerem. Maluqueira apostar desta maneira em dois números. E acertaram." em agosto de 2003. Depois disso, fomos conhecendo outros países, outras cidades, mas a "bichinho" de voltar ao Rio de Janeiro estava acima de qualquer outra repetição de destino. Em 2015 somei mais um carimbo no passaporte (adoroooo esta soma feliz) e voltei ao Rio, essa cidade maravilhosa (na realidade somei dois, um em março e outro em novembro).

Aeroporto Francisco Sá Carneiro, mar 2015


Aeroporto Francisco Sá Carneiro, nov 2015
Se a vida me era (aparentemente) mais fácil há um ano? Era. Não me tinha caído uma "bomba" nas mãos e eu não estava a tentar juntar os pedacinhos dentro de mim? Verdade.
Mas isso não importa agora não, estou mais forte, mais serena e mais preparada para somas felizes.

VAMOS VIAJAR?
O Rio de Janeiro é uma cidade incrível que nos oferece uma variedade enorme de atrações culturais, presenteia-nos com os prazeres cosmopolitas de uma grande cidade e, ao mesmo tempo, puxa-nos sorrateiramente para o extenso areal das suas praias (do Leme ao Leblon).
Depois de episódios menos felizes com escalas de voos, e dias passados em aeroportos, agora viajo sempre (que possível) direto, por isso são 10 horas dentro de uma "latinha voadora" entre as duas cidades do coração (o meu Porto de partida e "onde sou ainda mais feliz"). No Rio já fiquei hospedada no Hotel Astoria Palace e o Othon Palace, ambos na Avenida Atlântica (o primeiro entre os Postos 2 e 3 e o segundo próximo do Posto5). Duas notinhas já aqui: A Avenida Atlântica é a avenida da praia de Copacabana (Calçadão) e os "Postos" correspondem aos balneários/posto de vigia dos "guarda-vidas", que acabam por "dividir" as zonas das praias na zona sul do Rio e servir como ponto de referência para a "galera" se encontrar. Em relação aos hotéis, e numa análise subjectiva, porque pessoal, a preferência vai para o Othon Palace (bom serviço, comodidade, localização, óptimas vista e café da manhã).

Tentarei nas dicas que aqui vou deixar ser o mais clara possível, no entanto, primeiro, tenho sempre muito para dizer e, segundo, os contextos e a própria época do ano que por lá descansei (e cansei) a mente e o corpito foram bem distintas, ainda assim tentarei também ser o mais isenta possível :).
Andar no Rio para mim é bem simples, a cidade "compreende-se" bem, andar a pé nunca foi obstáculo (nunca senti na pele a insegurança que se fala, graçadeus, mas óbvio tomo as regras básicas - ausência de sinais exteriores de riqueza, evitar determinados horários, ...), pegar um ônibus (3,4 reais) ou um táxi é bem simples (e barato, quando comparado com os preços praticados por cá) e chega-se fácil a qualquer parte (fácil, porque estou em modo férias e não tem pressa para nada mesmo, mas há trânsito, muito trânsito).
Fazer a pé o Calçadão entre as praias da Urca e do Leblon é um clássico, passando pelo Leme, Copacabana, Arpoador, Ipanema (todas na zona sul do Rio). Subir o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor, ir ao Jardim Botânico, ao Parque Lage, dar muitas voltas à Lagoa (Rodrigo de Freitas, talvez o meu sítio preferido), ir ao bairro de Santa Teresa (o típico bondinho já está em funcionamento e a fazer as delícias dos turistas), ao Largo do Guimarães, ao Parque das Ruínas, à Escadaria Selaron, aos Arcos da Lapa e à emblemática Confeitaria Colombo (também existe no Forte de Copacabana e é muito afamada pelo café da manhã), ao Centro, ..., faz parte de qualquer roteiro turístico sobre A maravilhosa, mas como em qualquer outra parte muitas coisinhas giras ficam apenas "acessíveis" a quem já conhece, a quem tem lá alguém que conhece (obrigada C.) ou que simplesmente tem um espírito aventureiro e vai à procura.
De seguida, e para facilitar a legibilidade, vou separar tudo por temas, com comentários sobre a minha experiência nos casos em que se aplica (a wishlist do Rio estará sempre em melhoria contínua e resulta de dicas da C., pesquisas, as contas de instagram sobre o Rio, ...):
As Praias na Zona Sul ("Zona Sul" é também uma cadeira de supermercados na cidade):
    • Posto 1 - Praias da Urca e Leme
    • Postos 2, 3, 4 e 5 - Praia de Copacabana
    • Posto 6 - Arpoador
    • Postos 7, 8, 9 e 10 - Praia de Ipanema
    • Posto 11 e 12 - Praia Leblon
Arpoador, nov 2015
Ipanema, nov 2015


Copacabana, mar 2015
Ipanema, o todo o ano

Ipanema, nov 2015

Ipanema (à noite), mar 2015

Facto: já treinei, já apanhei sol, já negociei biquinis e caipirinhas (e água com gás quando estava fartinha de caipirinha) e biscoito Globo e açaí no copo, já mergulhei e já fui muito muito feliz nessas praias todas, mas sem dúvida que Ipa(nema) tem qualquer coisa de muito especial, wooooowww longo suspiro (obviamente que a predilecção está associada à faixa etária e ao tipo de pessoas que a frequenta).


A fazer, a ver, a visitar:

As Trilhas:
Morro dos Dois Irmãos
Pico da Pedra Bonita
Pedra da Gávea
Cristo Redentor/Morro Corcovado
Pão de Açúcar

Cristo Redentor, mar 2015

Vista do Morro dos Dois Irmãos, mar 2015
Favela da Rocinha
Em março 2015 subi o Morro dos Dois Irmãos (imagem postal do #errejota) e adoreiiiii. Não é a experiência mais fácil do mundo, exige alguma preparação física (dei por mim a pensar que, infelizmente, muitas pessoas que vão ao Rio nunca terão este privilégio por contingências várias), mas prescinde-se bem dos circuitos organizados por algumas empresas a preços escandalosos. O início da trilha é feito no topo da Favela do Vidigal. Quando entrei no táxi e disse que queria ir para a Favela a reacção do taxista não foi a mais simpática, por isso acabei por acordar com ele deixar-me no final do Leblon e logo via um jeito de lá chegar (sabia que não estaria muito longe). Algumas indicações depois cheguei à entrada da Favela e apanhei um "mototaxi" (a oferta é muitaaaa e todos te querem levar) que me levou até ao topo e ao início de uma das melhores experiências. Demorei umas 2h a chegar lá em cima, mas esperei mais algumas até que o céu abrisse nesse dia (não acertei no dia, mas está prometida nova investida ao Morro). Existem trilhas para o Cristo e o Pão de Açucar, mas tenho uma pequena impressão que serão "dureza máxima".


Turístico:
Cristo Redentor (ver o #errejota de cima) - 62 reais
Pão de Açúcar (ver o #errejota de cima) - 71 reais
Vista Chinesa e Mesa do Imperador (ver o #errejota de cima)
Jardim Botânico/Cachoeira do Horto
Parque Lage
Parque Nacional da Tijuca (Floresta, Serra da Carioca, Pedra da Gávea, Pedra Bonita
Pão de Açúcar, mar 2015
Pão de Açúcar, mar 2015
Vista Chinesa, mar 2015
Vista do Cristo Redentor, mar 2015
Fui ao Cristo e ao Pão de Açúcar (em 2003 e em 2015), bonito sem dúvida, vistas deslumbrantes, mas talvez pela quantidade de turistas, dos atropelos para a "melhor chapa", da confusão e filas de espera para comprar os bilhetes (mais no caso do Cristo Redentor), não são pontos da minha geografia emocional no #errejota (vale a pena visitar, repetir talvez não seja preciso).
Na Vista Chinesa e Mesa do Imperador respira-se natureza (melhor é apanhar um taxi na zona do Jardim Botânico), o Jardim Botânico é bem engraçado, ainda que a botânica não seja o meu forte, e o Parque Lage é liiiiiindo (de dia e à noite).

Parque Lage (noite), nov 2015


Histórico:
Bairro de Santa Teresa: Largo dos Guimarães, Parque das Ruínas e Café das Ruínas
  • Para almoçar/jantar em Sta. Teresa: Bar do Mineiro, Adega do Pimenta, Sobrenatural, Bar do Marcô, Cafecito (Delicatessen), Largo das Letras, Aprazível, Bar do Chico
Centro
Lapa
Escadaria Selarón
  • Para a zona do Centro o melhor é apanhar o Metro (3,7 reais) e sair na estação da Cinelândia ou Uruguaiana.
A Feijoada do Bar do Mineiro, mar 2015

Bairro de Santa Teresa, nov 2015


Escadaria Selarón, nov 2015

Visitei todos os lugarzinhos que listei, andei no Bondinho em Santa Teresa (basicamente é um eléctrico que percorre o bairro e vai até aos Arcos da Lapa e é gratuito),  comi uma maravilhosa feijoada do Bar do Mineiro shame on me, shame on me (fecha à segunda), passei pelo bairro bem pitoresco, vi Guanabara no Café das Ruínas (no Parque das Ruínas) e claro acabei por descer até à famosa Escadaria Selarón (na primeira vez tive algum receio pelo ambiente, mas na segunda foi bem mais tranquilo).

Cultural:
Estádio do Maracanã
Cidade do Samba (Sambódromo)
Instalações da Globo
Museu de Arte de Niterói

Ponto fraco este, ainda não consegui fazer check em nenhum destes sítios.

Pôr do sol:
Pão de Açúcar (Urca)
Café do Forte - da Confeitaria Colombo (Forte de Copacabana, Posto 6. Entrada: 6 reais)
Pedra do Arpoador
Café Palaphita Kitch

Lagoa Rodrigo de Freitas, mar 2015
Arpoador, nov 2015 (sábado, dia 14)

Arpoador, nov 2015

Já vi o pôr do sol no Pão de Açúcar, na Pedra do Arpoador e no Palaphita e só posso dizer que foram dos momentos mais bonitos e arrepiantes que já senti (sozinha ou acompanhada pela melhor, sóbria ou com caipirinha, com calor ou com frio). E sempre que me perguntam "porque é que gostas tanto do Rio?" são aquelas as primeiras imagens que me vêm à cabeça. Depois é um "não sei explicar, sou mais feliz e pronto" (claro, fiquei contente quando a G. há uns dias me disse "agora eu entendo porque gostas tanto do Rio" depois de lá ir há dois meses. nota: vai novamente ao Rio daqui a uns dias).


Não tenho classificação para esta:
Lagoa Rodrigo de Freita
  • Lagoon - zona de restaurantes da Lago
  • Café Palaphita Kitch (pôr do sol)
Mureta da Urca (Bar da Urca, R. Cândido Graffée)
Favela do Vidigal
  
Lagoa Rodrigo de Freitas, mar 2015
Café Palaphita Kitch, mar 2015


Lagoa Rodrigo de Freitas, mar 2015
temos todos
Mureta da Urca, mar 2015
A Lagoa é A LAGOA, indubitavelmente dos meus sítios preferidos, o reflexo da cidade naquela água calma no final do dia, a "agitação" de ciclistas, pessoas a correr, a caminhar, a treinar nos circuitos funcionais (há vários ao longo da Lagoa) em cada manhã, os "bons djiiiias" do musculado de 30 anos e da velhinha a correr, são bons djimaiiiiss. Perdi a conta ao número de vezes que calcei sapatilhas, pûs os "phones de ouvido" e dei a volta à Lagoa (no total são 8km) e, no final, só me apetecia recomeçar mais uma voltinha.
A Mureta da Urca é um sítio que não vem nos roteiros turísticos e que  nem todos os cariocas sabem onde fica ou o que é. A fama do local foi Impulsionada pelo Bar da Urca e é um lugar descontraído, com uma vista maravilhosa para a Baía de Guanabara, onde muitos cariocas se juntam no final do dia para conviver, à mercê do muro que existe do outro lado da rua do bar (não há cá mesinhas nem cadeirinhas, é descontracção, estamos no Rio). Caipirinha, um chopp, petiscos deliciosos, gente bonita e o papo em dia. 

Indubitavelmente a visita a uma Favela (bairro de lata) não está nos ideais da maioria dos turistas, ou até dos próprios cariocas, mas há coisinhas que só se fazem uma vez na vida (ou duas e farei sempre que me desafiarem) e "respirar" favela, o miolo, as ruas estreitinhas, as pessoas, os olhares, a vida tão própria, é qualquer coisa de arrebatador. Mais uma vez com os devidos cuidados, mas é uma experiência que vale muito muito a pena (e a vista no topo da Favela? poiiiiiis..)

Comprinhas:
Feirinha Av. Atlântica (18-23h) - próxima do Hotel Copacabana Palace
Feira Hippie de Ipanema (ao domingo)
Galerias de Santa Clara (todos os dias, R. de Sta. Clara em Copacabana)
Casas Pedro (todos os dias)
Casas Pedro, mar 2015
Roupinha para academia, nov 2015
Mulher? Bikinis? Bugiganga? Sítios perfeitos. Eu não sou muito dada à bugiganga, mas perco-me com uns bikinis e uma roupinha para a academia, nas Galerias, e pela panóplia de sementes e cenas a granel das Casas Pedro.
Restaurantes/Lanchonetes (que conheço e recomendo):
R: Garota de Ipanema (Ipanema) - Picanha
R: Carretão (Copacabana) - Rodízio
R: Raíz (Ipanema) - Buffet óptimo
R: Talho Capixaba (Leblon)
R: La Bicyclette (Jardim Botânico)
L: Balada Mix (várias na zona sul)
L: Bibi Sucos e Poli Sucos (várias na zona sul)


Tapioca, BibiSucos

Restaurante Garota Ipanema

Açaí, Balada Mix
Restaurante Carretão


Restaurante Raíz

Restaurantes/Lanchonetes (que quero conhecer):
R: Casa da Feijoada (Ipanema)
R: Garrafeira Informal (Ipanema)
R: JAEÉ (Leblon)
R: Braseiro da Gávea (Gávea)
R: TT Burguer (Arpoador, Leblon)
R: Sushi Leblon
R: Manekineko (sushi)
R: Boteco Belmonte (Leblon, Urca, Flamengo, Ipanema, Botânico, Copa, Lapa e Barra)
L:Momo Gelato (Leblon)
L: Santa Satisfação (Copa, Leblon)

Noite:

Baixo Gávea (quinta à noite)
Samba/Bossa Nova/Gafieira:
  • Carioca de Gema (Lapa)
  • Rio Scenarium (Lapa)
  • Mistura Fina (Lapa)
  • Vinicius (Ipanema)
  • Bar do Tom (Leblon)

Poucos - e pouco recomendáveis - registos fotográficos nocturnos :)

Pegando o ônibus:

Niterói
Prainha, Joatinga, Grumari
Angra dos Reis, Ilha Grande, Cachoeira da Feiticeira, Paraty
Búzios, Arraial do Cabo

Apesar da distância temporal de treze anos já fui a Angra dos Reis e Paraty e adorei, praias e ilhas com paisagens maravilhosas (ou não fosse destino de férias da malta da Globo).
Não fui (ainda) a Niterói, Prainha, Joatinga, Grumari (todas a cerca de 1hora do Rio), a Búzios e Arraial do Cabo digo um see you soon.

A melhor resposta? É ser feliz.

com muita tapioca na rua, muito açaí de lanchonete, havaiana no pé, biscoito Globo e queijo coalho na praia, caipirinha em qualquer lado, pão de queijo a toda a hora, sal na pele, água de côco, esfiha, coxinha, sol, e chuva mas não intéressaaaa, picanha, rodízios, brigadeiro, samba no pé, gargalhadas, cheiro a protector solar, bikinis e calções, quarentaaaaaa graus, pés descalços, areia no corpo, amor comigo e muita, muita gratidão.


adenda 1: este não é um post publicitário, a Prefeitura do Rio de Janeiro não me oferecerá uma viagem em troca deste post, nem tão-pouco tem por base pesquisas históricas e explicações detalhadas de locais. é só uma apaixonada que aqui deixa uma espécie de "diário de bordo".
adenda 2: todas as fotografias são tiradas com o meu telemóvel.
SHARE:
© serendipity. All rights reserved.