15/08/2016

fim de semana bom #9of14

Fim de semana prolongado. Completamente indiferente para quem está de férias, altura em que uma terça é igual a um sábado. Toda uma lufada de ar fresco para quem está a trabalhar e tem mais um dia para gozo de dolce far niente. E este foi o primeiro feriado do ano gozado (todos os outros, e já se contam alguns, foram passados a trabalhar em part ou full time).

Em imposição feita a mim mesma, este fim de semana a agenda não determinava marcações (como se isso existisse na minha vida ahahah), com o objectivo último de ter tempo para ler, ouvir música, dormir muito, mimar as minhas pessoas mais bonitas, estar comigo (e sentir alguma dorzinha que tanto programa e vida social por vezes encobre), gerir o tempo do jeitinho que me apetecesse e ser feliz nas minhas voltinhas. Cumprido e excedido.

Se a distância que agora nos separa e uma vida em vapt vupt impele que não esteja com uma querida amiga há mais de dois meses e a única possibilidade é um café no aeroporto antes da viagem dela, seja: tomamos café no aeroporto (no Costa, porque não há Starbucks) e assim se fez a passagem para o fim de semana gostoso.


As setenta e duas horas seguintes, devidamente gozadas e relaxadas, foram apenas e só - que é TUDO - tempo de qualidade (muita qualidade) em família, com amigos, por Viana (há muitos anos me ensinaram que ninguém sai de Viana sem uma bola de berlim do Natário e eu gosto muito de cumprir tradições) e Moledo, na casa de campo, em comemoração dos aniversários dos avós do coração (os da mana), na casinha nova do #melhordomundo e da D., no ginásio (tentativa infrutífera de recuperar os estragos dos últimos tempos), em modo preguicinhas em casa e #lazysessions nas Virtudes, no melhor abraço e entendimento de sempre (no Base, contigo).

O melhor do meu fim de semana:










Depois de uma semana atípica, o coração calminho.
Boa semana* 
SHARE:
© serendipity. All rights reserved.