01/12/2016

dezembro | 1

Está oficialmente aberta a época festiva. Entre os tradicionais jantares de natal, jantares de aniversário, fim de semana no Douro, cerimónia e jantar de gala do PGG, momentinhos com as amigas, os passeios na Baixa, as luzes e as gordices, a família, os presentinhos, e por aí em diante, o mês de dezembro é sempre um mês de celebração e festa. A agenda até ao fim do ano está cheia com almoços, jantares e eventos típicos da época e o modo sobrevivência está accionado. 

Não gosto propriamente do mês, da correria de um lado para o outro, da superficialidade disfarçada de generosidade e solidariedade, do consumismo, de imaginar shoppings cheios e pessoas vazias, por isso vivo dezembro à minha maneira (uma agenda cheia de momentos, o propósito de não entrar num shopping durante todo o mês e ao estilo 'vamos lá despachar isto para virar o ano rapidinho').

Não gosto propriamente do mês, do Natal e do cansaço excessivo de dezembro, muito pela falta de magia que me falta para o viver, pelas saudades imensas de pessoas que marcaram incontornavelmente o Natal noutros tempos, pela nostalgia e ansiedade que me provoca.
As luzinhas nas ruas, as músicas clássicas, os cheiros. Impelem recordações felizes, sim, mas são as mesmas que ainda hoje não me permitem enfeites em casa, grande euforia pela época, nem existência da tradicional árvore de Natal cá em casa (a minha não sai da garagem há cinco anos).


Ainda assim, BOM MÊS.
Don't forget to add some sparkle to your day.
SHARE:
© serendipity. All rights reserved.