17/03/2017

dos dias bonitos

Acordei (despreocupadamente) às 7:00. Cedo, mas mais uma hora para um dia normal de semana. Inspirei e vesti uma camisola quentinha. Espreguicei, senti o ar fresco da manhã (quase de primavera) na varanda, bebi um chá e preparei o pequeno-almoço. Papas de aveia quentinhas, feitas aprimoradamente, só mesmo em manhãs lentas. Fiz pause ao ruído do mundo. Organizei-me, organizei a casa, li as notícias do dia e "actualizei-me" nas redes. Agradeci à vida por este day off  (tem um motivo especial, mas há sempre um outro bom motivo: tempo para mim). Vesti-me para uma voltinha na rua. Deixei as janelas abertas e o sol a entrar em casa. Comprei flores, morangos de verdade e o pão de espelta da Pão Nosso. Tomei um longo café, acompanhado de um croissant francês, no novíssimo Brando: Casa do Café e foquei-me no essencial, uma espécie de mindfulness. Revi planos e fui cuidar de mim, no cabeleireiro e na esteticista.

É de boas horas que se faz a felicidade.
E é da certeza que um "coração em paz faz boas escolhas".

Hoje é um dia bonito.





 












(Agora vou só ali fazer uma aulinha de Pilates. Pilates minha genteeeeee. E preparar-me para tudo o que aí vem.)
SHARE:
© serendipity. All rights reserved.