04/04/2017

sobre o fim de semana

'Nem sempre encontraremos as palavras certas para dizer o que sentimos. É por isso que existem os abraços.'

Subscrito. Pela quantidade de abraços do último fim de semana. Em forma de xi-coração, de beijinhos, de boa disposição, de partilha, de companheirismo, de compreensão, de amizade e lealdade, de alegria e disparate, de respeito. Em idêntica proporção e na fórmula sublime.
Desta feita, no Alentejo.

Os fins de semana da turma são - indubitavelmente - planeados com antecedência, ou não existissem vinte e tal agendas para gerir, e seguem sempre um criterioso plano de actividades. Estuda-se bem a zona que a bússola do coração (dos vinte e tais corações) apontou para a viagem seguinte, os hotéis disponíveis, os restaurantes, as actividades de lazer, a logística. Trata-se das reservas, marcações e....voilá. Pomo-nos a caminho e fazemos a magia acontecer (continuo a defender que dávamos um belo estudo sociológico ahah).




no sábado
Encontramo-nos ao final da manhã no check-in do Ecorkhotel Évora - Suites&SPA, matamos aquelas primeiras saudadinhas e seguimos para o destino do almoço. Os atrasos são uma constante quando falamos de uma turma tão grande, e em modo fim de semana, por isso as hostilidades calóricas que pautaram os dois dias só se iniciaram por volta das 14h no Restaurante Sem-Fim em Monsaraz [uma maravilha].
Da "agenda da tarde" constava um passeio de barco no Alqueva (mais info em Veleiro Sem-Fim), que superou todas as expectativas, mas com vontade (e a boa-vontade de todos) ainda conseguimos encaixar um passeio pelo Castelo de Monsaraz ao ritmo do pôr-do-sol. E estou certa que ninguém se arrependeu de tão-pouco não termos tido tempo para um banho e um perfumezinho (já os seis minutos do jogo Benfica-Porto não sei se é unânime).
A sopa de cação e o cachaço de porco preto com batata doce e castanhas, bem ao estilo alentejano, ficaram à responsabilidade do 1/4 P'ras 9, em Évora. E que grande bem-haja.

no domingo
A turma não dorme, esta é a conclusão a que chego. Ou melhor, a turma dorme, mas pouco. Portanto, apesar da hora tardia de deitar, acordei - cedo - já com imensas mensagens no whatsapp com fotos da piscina, do ginásio, do farto pequeno-almoço. Uma doideira tão boa.
Um pequeno-almoço com tudo a que temos direito (estávamos no Alentejo e por isso não faltaram umas quantas fatias daquele pãozinho dos deuses), uma voltinha pelo resort e um atraso descomunal depois, seguimos para.... uma prova de vinhos. Sim, uma prova de vinhos de manhã!!!
No Monte da Ravasqueira, orientados pelo nosso colega V., ficamos a conhecer um pouco mais da história (da herdade e do vinho), visitamos o museu das atrelagens e.... provamos oito (eu perdi a conta vahhh) vinhos do MR.
Como a maltinha não facilita no que "à mesa" diz respeito, do almoço (fora d'horas) constou um buffet alentejano (medo, muito medo, tudo bem pesadinho e gostoso) no Monte Graciete.

E assim se fez. Bonito. Porque 'nem sempre encontraremos as palavras certas para dizer o que sentimos'. Só precisamos de fins de semana assim para sermos o que somos.


































































Imagem | João Cavaleiro & Serendipity
SHARE:
© serendipity. All rights reserved.